Chão de taco: o que você precisa saber antes de optar por esse revestimento

Você com certeza conhece o famigerado (mas não tão valorizado) chão de taco. Sucesso em 1950 e 1960, portanto, presente em várias residências mais antigas e, muito provavelmente, em alguma parte da sua infância, o chão de taco ainda é encontrado e desejado por algumas pessoas que buscam um ar vintage ou retrô em sua casa ou apartamento.

Famoso em casas e apartamentos antigos, o chão de taco voltou com tudo

Com alta durabilidade e grande resistência, o taco, por ser um revestimento de madeira, é capaz de trazer sensação de aconchego e conforto aos ambientes, apresentando-se em variados modelos. 

Tipos de madeira

Quando o assunto são os tipos de madeira para chão de taco, o destaque fica por conta de duas nobres espécies: cumaru e ipê.

Apropriada para áreas mais movimentadas, a cumaru é bastante firme e resistente, apresentando simples manutenção. Por sua vez, o taco de ipê conta com brilho natural e se caracteriza por alta resistência a riscos e possíveis deformidades. 

Manutenção e conservação

Para conservar o chão de taco, o ideal é apostar em duas higienizações: uma diária para manutenção simples e uma mais intensa, que deve ser realizada esporadicamente. 

Para a limpeza de todos os dias, use um pano seco para remover o pó e uma vassoura de cerdas macias, que não risque o revestimento. O aspirador também pode ser uma boa opção, mas o bocal não deve encostar no chão. 

Já a limpeza mais profunda e menos frequente deve envolver produtos específicos e de qualidade para assoalhos de madeira, que devem ser aplicados com pano seco após varrer a poeira. Caso o piso apresente acúmulo de cera, use um removedor do produto antes do processo. 

Receita para limpeza semanal: faça uma solução com uma colher de sopa de detergente neutro e 5 litros de água. Em seguida, umidifique um pano limpo na mistura, retirando o excesso de água. Passe no piso com a ajuda de um rodo e finalize com um pano seco e limpo, de modo a remover qualquer umidade. 

Como se pode perceber, trata-se de uma limpeza gentil e suave, livre do excesso de umidade. Outras dicas importantes são: 

  • não use álcool, solventes, lustra-móveis, esponja de aço ou qualquer produto abrasivo que possa manchar e riscar o piso;
  • não aplique água diretamente no chão de taco (isso “estufa” a madeira e pode provocar infiltração); 
  • use protetores acolchoados nos pés dos móveis, evitando arranhões